Detentos do Nascente produzem farinha e tucupi orgânicos para venda no Círio | Superintendência do Sistema Penintenciário do Estado do Pará

Detentos do Nascente produzem farinha e tucupi orgânicos para venda no Círio

Versão para impressãoEnviar por e-mailVersão em PDF
Este ano, além dos patos comercializados nos feirões que antecedem a festividade do Círio de Nazaré, a CPASI também disponibilizará ao consumidor paraense a farinha e o tucupi orgânicos.

Na Colônia Penal Agrícola de Santa Isabel (CPASI), internos trabalham no cultivo da mandioca, que dá origem a dois itens conhecidos da culinária paraense: a farinha e o tucupi, através do Projeto Nascente – Pólo Agroindustrial, desenvolvido pela Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe). Este ano, além dos patos comercializados nos feirões que antecedem a festividade do Círio de Nazaré, a CPASI também disponibilizará ao consumidor paraense a farinha e o tucupi.

Através das atividades desenvolvidas no Nascente, seis internos trabalham na colheita da mandioca, que posteriormente, passa pelo processo da fabricação da farinha. Essa mandioca é triturada e prensada para a remoção de um líquido denominado manipueira, que é venenoso e impróprio para o consumo humano. Após um determinado tempo de preparo dá origem ao tucupi. Toda a produção é feita na “Casa da Farinha” localizada dentro da CPASI e certificado por técnicos agrícolas.

O interno Josenildo Abreu trabalhava com a produção de farinha no interior do Maranhão, onde morava. Com as técnicas, ele pretende expandir o seu conhecimento. “Trabalhava na colheita da mandioca e depois fazia a torra da farinha e produzíamos tudo com a mão. Aqui aprendi a fazer a prensa e a trituração nas máquinas. Quando retornar para a minha cidade vou dar continuidade no que aprendi”, disse.  

“Trabalhamos um ano antes visando a produção do abastecimento das feiras do ano seguinte. Desta forma, conseguimos atender a demanda da criação dos palmípedes. Mas, este ano decidimos ampliar a produção com a venda da farinha e do tucupi”, explica Reinaldo Menezes, coordenador do Projeto Nascente.

Para o Feirão dos Patos que será realizado nos próximos dias 30/09 e 01 e 06/10 estarão disponíveis cerca de 180 quilos de farinha de mandioca e 80 litros de tucupi. O quilo da farinha será vendido à R$ 6,00 e o litro do tucupi à R$ 7,00. Toda a produção realizada na CPASI é feita de forma natural, ou seja, sem o uso de agrotóxicos e fertilizantes químicos.

“A farinha e o tucupi, produzidos na Colônia são orgânicos. Não usamos nem um tipo de corante, agrotóxicos e fertilizantes para o cultivo das hortaliças e tubérculos. O tucupi também é produzido de forma artesanal sem conservantes”, afirma o técnico agrícola Mariano Cardoso.

Para o diretor de Reinserção Social da Susipe, Ivaldo Capeloni, o trabalho que vem sendo desenvolvido pelos internos custodiados na CPASI possui um papel social de grande importância, pois além de garantir uma ocupação e oportunidade de aprendizado aos presos, abre as portas para o caminho da ressocialização. “O trabalho desenvolvido aqui nos agrada bastante, pois além de aumentar a potencialidade e dinâmica da colônia, contribuímos de uma forma social para os internos que aprendem uma profissão na lida com a agricultura”, afirmou Capeloni.

Serviço: O Feirão do Pato do Círio 2016 será realizado na próxima sexta-feira (30), no prédio-sede da Susipe, localizado na rua dos Tamoios, 1.592, no bairro de Batista Campos. No dia 01/10, os animais serão comercializados no "Sábado Rural", que acontecerá na Ceasa. No dia 06/10, os animais serão vendidos no Projeto "Ceasa Perto de Casa", que ocorrerá no Ginásio da Universidade do Estado do Pará (UEPA), na avenida João Paulo II, no bairro do Marco, em Belém.

Por Walena Lopes | Anderson Silva
Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará