Detentos são aprovados em vestibular no Pará através do Sisu | Superintendência do Sistema Penintenciário do Estado do Pará

Detentos são aprovados em vestibular no Pará através do Sisu

Versão para impressãoEnviar por e-mailVersão em PDF
O processo seletivo do Sisu possui uma única etapa de inscrição, que é realizada pela equipe pedagógica da unidade prisional. Ao efetuar a inscrição o candidato escolhe até duas opções, entre as vagas ofertadas pelas instituições participantes do Sisu.

Quatro dos 50 detentos custodiados pela Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) foram classificados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que utiliza a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para Pessoas Privadas de Liberdade (PPL) como critério de seleção para universidades públicas de todo o país.

O processo seletivo do Sisu possui uma única etapa de inscrição, que é realizada pela equipe pedagógica da unidade prisional. Ao efetuar a inscrição o candidato escolhe até duas opções, entre as vagas ofertadas pelas instituições participantes do Sisu. O candidato também define se deseja concorrer a vagas de ampla concorrência, a vagas reservadas de acordo com a Lei nº 12.711/2012, de 29 de agosto de 2012 (Lei de Cotas) - alterada pela Lei nº 13.409, de 28 de dezembro de 2016 - ou a vagas destinadas às demais políticas afirmativas das instituições.

Os detentos custodiados pela Susipe aprovados foram: Benedito Nei Ferreira Queiroz, custodiado no Centro de Recuperação Coronel Anastácio das Neves (CRCAN), aprovado no curso de Administração da Universidade do Estado do Mato Grosso (Unemat); Tiago Nazareno Nogueira, custodiado no Presídio Estadual Metropolitano I (PEM I), aprovado no curso de Zootecnia na Universidade Estadual do Piauí (UESPI); Pedro Henrique Araújo, custodiado no Hospital Geral Penitenciário (HGP), aprovado no curso de Cinema e Áudio Visual da Universidade Federal do Pará (UFPA) e Adams Almeida Gomes, aprovado no curso de Engenharia de Minas e Meio Ambiente da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESPA), em Marabá.

O interno Pedro Henrique Araújo, de 34 anos, ficou em 1º lugar entre os candidatos que concorreram as vagas no curso de Cinema e Audiovisual, da UFPA, através do sistema de cotas. “Eu fiquei surpreso com a aprovação. Eu estava estudando para passar e sabia que a concorrência era grande, mas nem imaginava que tiraria uma boa nota. Fiquei muito feliz com a notícia e essa é uma vitória na minha vida. Desde que eu entrei no sistema é a quinta vez que eu faço o vestibular, na primeira vez eu não passei porque não estava preparado, mas todas as outras que eu fiz eu tive resultado positivo. Agora aguardo autorização da Justiça pra realizar o curso”, disse o detento.

Em 2016, mais de 60 internos se inscreveram para fazer o processo seletivo do Sisu, e 18 obtiveram a aprovação. De acordo com a Coordenadoria de Educação Prisional (CEP) da Susipe, o número ainda deve subir porque muitos estão na espera da segunda chamada pelas universidades. Outro fator é que, em 2017, por uma mudança do Ministério da Educação, a nota do Enem PPL não é mais utilizada para certificação do ensino médio, o que fez com que muitos detentos deixassem de fazer o exame.  

“A preparação deles acontece o ano todo. Dentro da unidade prisional fazemos a preparação para a prova do Enem e temos as aulas normais da Educação de Jovens e Adultos (EJA), além das outras atividades educacionais que também são oferecidas, como Alfabetização, Ensino Profissionalizante, Oficinas de Artesanatos, Projeto de Remição da Pena pela Leitura e Remição da Pena pelo Xadrez. O número de detentos estudando nas unidades prisionais aumentou mais de 40% de 2015 até agora”, destacou Aline Mesquita, coordenadora de Educacional Prisional da Susipe

O detento Benedito Nei Ferreira Queiroz, custodiado no CRCAN, passou em 8º lugar no curso de Administração, em uma Universidade do Estado do Mato Grosso. “Eu fiz para o Estado do Mato Grosso porque achei que a concorrência fosse um pouco menor do que a que temos aqui no nosso Estado. Eu já tinha tentado passar nessa prova várias vezes e não tinha conseguido, mas esse ano eu me dediquei mais, participei do projeto de remição pela leitura e isso me ajudou bastante na redação. Estou feliz com o resultado e ansioso para saber se vou conseguir a minha transferência com a Justiça para poder fazer o curso”, disse o detento.

No Sisu são considerados selecionados somente os candidatos classificados dentro do número de vagas ofertadas em cada curso, por modalidade de concorrência. Caso a nota do candidato possibilite sua classificação em suas duas opções de vaga, ele será selecionado exclusivamente em sua primeira opção. É realizada apenas uma chamada para matrícula. Os candidatos selecionados têm um prazo para efetuar a matrícula na instituição e, desta forma, confirmar a ocupação da vaga.

“Nós garantimos que as matrículas dos detentos aprovados sejam todas realizadas e ficamos no aguardo da decisão judicial, que irá informar se o preso poderá ou não frequentar as aulas”, concluiu Aline Mesquita. Em 2017, 754 presos fizeram as provas do Enem PPL no Pará. Em todo o Brasil, mais de 30 mil pessoas privadas de liberdade se inscreveram para realizar o exame nacional.

Por Giullianne Dias | Foto: Akira Onuma (Ascom/ Susipe)
Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará