Egressos do sistema penal mudam de vida com apoio do Credcidadão

Versão para impressãoEnviar por e-mailVersão em PDF
O Credcidadão existe há 12 anos, mas somente em 2016 passou a contemplar egressos do sistema penitenciário.
Josimar Monteiro Lima, 37, tem uma rotina cheia de compromissos. De segunda a segunda trabalha com publicidade, venda de lanches, além de comercializar polpa de frutas e de mariscos. Um cotidiano bem diferente da época em que estava custodiado pela Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe). Ao sair da unidade prisional, na condição de egresso, Josimar encontrou uma oportunidade que nunca imaginou que teria: a ajuda para se tornar um empreendedor.
 
O Credcidadão existe há 12 anos, mas somente em 2016 passou a contemplar egressos do sistema penitenciário. O benefício destina-se a pessoas de baixa renda e os egressos estão incluídos no grupo prioritário, onde as taxas de juros são diferenciadas. O valor do microcrédito gira em torno de R$2.500,00 e R$5.000,00.
 
Durante este período, 34 ex-detentos foram beneficiados e investiram em pequenos negócios, como por exemplo, a venda de frango, açaí, lanche, água, churrasco, mariscos, confecção, lava-jato, fruteira, refrigeração, mercearia, entre outros. Ao longo de 2016 e 2017 foram R$72.500,00 destinados para os egressos.
 
Josimar esteve entre os primeiros que receberam o microcrédito ainda em 2016 no valor de R$2.500,00. Com o dinheiro adquiriu uma ‘bikesom’, onde faz publicidade de estabelecimentos e eventos, além de revender polpa de caranguejo. Já em novembro de 2017 renovou o microcrédito no valor de R$4.500,00. Com mais capital expandiu as vendas para lanche, polpa de frutas, comprou um freezer e está reformando o ambiente de trabalho para cumprir com todas as normas exigidas pela vigilância sanitária.
 
“Cada dia eu trabalho com uma coisa, de segunda a segunda. Têm dias que eu vendo lanche, outro polpa de frutas, polpa de caranguejo, trabalho com a ‘bikesom’, tudo planejado. E ter essa chance de poder me reerguer foi muito bom. Aumentou a renda da minha família, porque antes eu só vendia caranguejo vivo aos finais de semana e dois dias na semana lanche. Agora dá para viver tranquilo”, afirmou o egresso que sonha em comprar a despolpadeira de frutas industrial para tornar o trabalho mais profissional e reduzir as perdas.
 
Durante o atendimento feito pela Coordenação de Assistência ao Egresso e a Família (CAEF), vinculada à Susipe, aqueles que possuem um perfil empreendedor e/ou que já possuíram algum tipo de iniciativa ou tem interesse de abrir o seu próprio negócio são selecionados para posterior análise. Para ser contemplado, o egresso deve estar de acordo com os critérios estabelecidos do Credcidadão que são: não possuir restrição no CPF e apresentar avalista sem restrição no CPF e com comprovação de renda.
 
Qualificação – Aos egressos são oferecidos cursos e palestras realizados em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) a fim de promover a qualificação profissional. De acordo com a titular da CAEF, Neide Azevedo, tão importante quando disponibilizar o microcrédito é prestar orientações sobre as melhores formas de utilizá-lo. “Temos uma parceria com o Sebrae que será oficializada através de Convênio de Cooperação. Todavia, enquanto isso não acontece as ações nesse sentido já vem acontecendo. O Sebrae se comprometeu com todo o processo de capacitação na área do empreendedorismo. Entendemos que não basta dá o microcrédito, temos que qualificá-los para empregar bem seu dinheiro”, avaliou.
 
Com o Credcidadão os benefícios não se restringem apenas ao egresso, mas transforma a vida de uma família inteira. Esposa de Josimar, Deusalina Lima ficou contente em ter a chance de acompanhar o marido na palestra de empreendedorismo e aprender a como ter sucesso nos negócios. “Na primeira vez foi só ele, na segunda, como podia levar acompanhante eu fui e gostei muito do que aprendi. Ouvi coisas que hoje me ajudam a vender os cosméticos que sempre deram o nosso sustento e com a venda das polpas e dos mariscos”, finalizou.
 
Por Aline Saavedra| Foto: Akira Onuma (Ascom/ Susipe)
Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará